Se você está começando como Gestor de TI, ou pensa em se tornar um, receba dicas para ter sucesso nessa posição (é grátis)!

COBIT 5 Modelo de Capacidade de Processo

COBIT 5 Modelo de Capacidade de Processo. O entendimento dos conceitos apresentados neste artigo, serão de extrema importância nos passos 2, 3 e 4 da 2ª Fase da implementação do COBIT 5.

COBIT 5 Modelo de Capacidade de Processo

Se um de seus processos de TI for desenvolvimento ou manutenção de software, você verá aqui, conceitos que provavelmente já são do seu dia a dia, pois o COBIT 5 utiliza como modelo de capacidade de processo, o mesmo modelo utilizado pelo CMMI e MPS.BR.

O COBIT 5 apresenta um novo modelo para a avaliação da capacidade dos processos de TI da organização, baseado na norma ISO/IEC 15504.

Esse novo modelo está descrito em detalhes no Process Assessment Model (PAM): Using COBIT 5.

A ISO/IEC 15504, também conhecida como SPICE (Software Process Improvement and Capability Determination), é a norma ISO/IEC que define o processo de engenharia de software.

É uma evolução da ISO/IEC 12207, com a adição do conceito de níveis de capacidade para cada processo, assim como são o CMMI e o MPS.BR.

A 15504 argumenta que “Capacidade” e “Avaliação de Maturidade” são duas avaliações distintas:

  • 15504-2: Capacidade verifica se o processo está atingindo seus objetivos
  • 15504-7: Avaliação de Maturidade mede se a implementação do processo está contribuindo para as metas de negócio

A abordagem da capacidade de processo do COBIT 5 pode ser resumida conforme a figura:

COBIT 5 Modelo de Capacidade - Modelo de Capacidade do Processo

Níveis de Capacidade

Um processo pode atingir seis níveis de capacidade:

  • 0 Processo Incompleto: O processo não foi implementado ou não atingiu seu objetivo. Neste nível, há pouca ou nenhuma evidência de qualquer atingimento sistemático do objetivo do processo.
  • 1 Processo Executado: O processo implementado atinge seu objetivo.
  • 2 Processo Gerenciado: O processo realizado descrito acima agora é implementado de forma administrativa (planejado, monitorado e ajustado) e seus produtos do trabalho são adequadamente estabelecidos, controlados e mantidos.
  • 3 Processo Estabelecido: O processo controlado descrito acima agora é implementado utilizando um processo definido capaz de atingir seus resultados.
  • 4 Processo Previsível: O processo criado descrito acima opera agora dentro dos limites definidos para produzir seus resultados.
  • 5 Processo Otimizado: O processo previsível descrito acima é continuamente melhorado visando o
    atingimento dos objetivos corporativos pertinentes, atuais ou previstos.

Cada nível de capacidade só pode ser atingido, quando o nível anterior tiver sido plenamente alcançado.

Importante ressaltar que quanto maior o nível de capacidade planejado, menor será o risco do objetivo do processo não ser atingido, em contrapartida, maior será o custo operacional que envolve o processo.

Atributos de Processo

A medida de capacidade é baseada em 9 atributos de processo (PA) definidos na ISO/IEC 15504-2.

Cada atributo se aplica a capacidade de um processo específico. Tais atributos são usados para determinar quando a capacidade de um processo foi atingida.

COBIT 5 Modelo de Capacidade - Atributos do Processo

Há uma diferença significativa entre a capacidade de processo nível 1 e os níveis de capacidade mais altos.

O atingimento da capacidade de processo nível 1 exige que o atributo de desempenho do processo seja amplamente atingido, o que de fato significa que o processo está sendo realizado com sucesso e os resultados esperados estão sendo obtidos pela organização.

Níveis de capacidade mais altos adicionam então diferentes atributos ao processo, ou seja, os atributos vão apenas sendo agregados e se acumulando.

Neste esquema de avaliação, atingir a capacidade nível 1, mesmo em uma escala de 5, já pode ser considerada uma importante conquista para a organização.

Cada organização definirá (com base no custo-benefício e na viabilidade) sua meta ou nível desejado, que muito raramente será um dos mais altos.

Avaliação de Capacidade

Ok. Mas como saberei em qual nível meu processo se encontra? O que tenho que entregar, para ter a comprovação que meu processo está no nível de capacidade planejado?

Indicadores de Avaliação

Indicadores de avaliação descritos no COBIT PAM fornecem a base para determinar quando um atributo de processo foi atingido ou não.

Na prática são os entregáveis de cada processo, ou seja, produtos resultantes e registros de execução das práticas descritas para cada processo.

Existem dois tipos de indicadores de avaliação:

  • Indicadores de Desempenho de Processo (Resultados do Processo, Práticas Básicas e Produtos do Trabalho): Exclusivamente para o nível de capacidade 1. São específicos para cada processo e são utilizados para determinar quando um processo está no nível de capacidade 1.

    Os Resultados do Processo (Outcomes), Práticas Básicas (BPs) e Produtos do Trabalho (WPs) que devem ser entregues para cada processo, estão descritos na Seção 3 do COBIT 5 PAM.

    COBIT 5 Modelo de Capacidade - Seção 3 do PAM

  • Indicadores de Capacidade de Processo (Práticas Genéricas e Produtos de Trabalho Genéricos): Aplicáveis aos níveis de capacidade de 2 a 5. Tais indicadores são chamados genéricos, porque são aplicáveis a todos os processos, mas eles são encarados de forma diferente de um nível de capacidade para outro.

    As Práticas Genéricas (GPs) e Produtos do Trabalho Genéricos (GWPs), que evidenciam o atingimento de um atributo de processo, estão descritos na Seção 4 do COBIT 5 PAM.

    COBIT 5 Modelo de Capacidade - Seção 4 do PAM

Escala de Classificação

O COBIT 5 define um método para avaliação de cada atributo, de acordo com o percentual de atingimento dos resultados esperados. Utiliza para isso a escala definida na ISO-IEC 15504:

Escala Descrição Percentual
N
(Não Atingido)
Há pouca ou nenhuma evidência de realização do atributo definido no processo de avaliação. 0-15%
P
(Parcialmente Atingido)
Há alguma evidência de uma aproximação e algumas realizações relativas ao atributo. >15-50%
L
(Largamente Atingido)
Há evidências de uma abordagem sistemática e uma realização significativa do atributo. Alguma fraqueza relativa a este atributo pode existir. >50-85%
F
(Totalmente Atingido)
Há evidências de uma abordagem completa e sistemática e plena realização do atributo. Nenhuma deficiência significativa relacionada com este atributo. >85-100%

Na prática, o percentual atingido é obtido a partir das quantidades de:

  • “Resultados do Processo”, para o nível de capacidade 1
  • “Critérios atingidos para cada processo”, para os níveis de capacidade de 2 a 5.

Uma excelente referência para identificar os critérios para cada processo, é a planilha “COBIT 5-Self-assessment Templates”, que consta do toolkit disponível grátis no “COBIT Self-Assessment Guide: Using COBIT 5”.

Por exemplo: para o processo EDM02, há 3 resultados do processo, que deverão ter sua existência verificada, para determinar o percentual de atingimento do nível 1:

COBIT 5 Modelo de Capacidade - EDM02 Nível 1

Para o nível 2, há 6 critérios a serem atingidos para o atributo de processo PA 2.1 e 4 critérios a serem atingidos para o atributo de processo PA 2.2:

COBIT 5 Modelo de Capacidade - EDM02 Níveis 2 e 3

Para determinação do cumprimento de critérios para os níveis de 2 a 5 de uma forma mais precisa, é necessário checar na Seção 4 do COBIT 5 PAM, quais os produtos de trabalho genéricos (GWPs) devem ser entregues para cada critério:

Por exemplo: para que o atributo do processo PA 2.1 Performance Management do processo EDM02 possa ser considerado atingido, os seguintes produtos de trabalho genéricos devem ser entregues para cada critério:

COBIT 5 Modelo de Capacidade - Seção 4 do PAM

Produtos de Trabalho Genéricos

Mas qual o conteúdo mínimo que cada Produto de Trabalho Genérico deve ter, de forma que um critério possa ser considerado como atingido?

Produtos de Trabalho Genéricos são documentos que suportam o gerenciamento dos processos.

Sua existência em conjunto com as práticas genéricas, provê evidências que determinados atributos de capacidade dos processos foram efetivamente atingidos.

Cada nível de capacidade de processo, requer um conjunto de produtos de trabalho genéricos como evidência, conforme a figura a seguir:

COBIT 5 Modelo de Capacidade - Atributos de Processo x Produtos de Trabalho Genericos

As corporações em geral definem o conteúdo de cada documento que será utilizado no gerenciamento da execução de seus processos, mas um bom ponto de partida é o COBIT 5 PAM no Appendix B Generic and Level 1 Output Work Products, onde há a descrição de conteúdo mínimo para cada documento:

COBIT 5 Modelo de Capacidade - Conteúdo de Produtos de Trabalho Genericos

Em posts futuros, disponibilizarei modelos dessa documentação em português.

 

Gostou do post?

Gostaria muito de saber sua opinião sobre o conteúdo através de um comentário seu logo aqui abaixo.

Caso ele tenha sido útil para você, aproveite para compartilhá-lo com um amigo ou amiga que precise de idéias como essas para ajudar em seu dia a dia.

Se quiser que avise sempre que houver uma atualização, deixe seu email abaixo.

Informe seu email e clique no botão ENVIAR!

Até o próximo post!

6 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *